Pular para o conteúdo principal

Postagens

Criando um editor de imagens usando JavaScript e HTML5

Considerando o cenário de polarização política em que estamos,  no dia 31/05/2020 surgiram movimentos antifascistas para fazer frente aos protestos antidemocráticos registrados quase que semanalmente no Brasil.
O que isso tem a ver com o JavaScript e HTML5? Bom, junto com as manifestações, uma usuária do Twitter (@beruta) começou a fazer imagens com a bandeira antifascista para quem quisesse, customizando, por exemplo, com o nome da profissão:
#AntifasPelaDemocracia

(Agora com as cores certas) pic.twitter.com/683TskrVp3 — Robs™ (@beruta) June 1, 2020 Pensando em unir o útil ao agradável, resolvi criar a aplicação disponível aqui, que automatiza a criação das bandeiras. Se você veio aqui para aprender a criar, pode continuar a leitura. Senão, pega a sua bandeira e viva a democracia.
Postagens recentes

Como interpretar e utilizar gráficos

A quantidade de uma única postagem nos últimos 5 anos de blog mostra o quanto estive focado em outras coisas e sem tempo para escrever aqui. Porém, no meio de uma pandemia e com a finalização do meu doutorado, acabei ficando com mais tempo e colocando como meta a volta das publicações aqui no blog.
Nunca antes na história desse país a população, de uma maneira geral, se preocupou tanto com gráficos, curvas, média e outras questões básicas da estatística. Assim, em tempos de coronavírus, essa postagem tem o objetivo de auxiliar que mais e mais pessoas consigam interpretar gráficos, fazer comparações e, inclusive, saber o melhor tipo de gráfico para usar em determinados casos.

O retorno: doutorado no Brasil, período sanduíche e diferenças entre Brasil-Alemanha

O título dessa postagem mistura três coisas bastante densas, mas serei o mais breve possível. Notei que se passaram cerca de dois anos desde que escrevi aqui no blog pela última vez, com a série sobre Programação Paralela. Desde então, iniciei o doutorado e o tempo acabou ficando realmente curto para conciliar a escrita de projetos, artigos, código e postagens no blog. Porém, com as últimas experiências e depois de conversas com amigos, resolvi compartilhar um pouco do aprendizado e impressões que obtive nos seis meses que fiquei morando em Karlsruhe, na Alemanha, para realizar uma estadia de pesquisa.

Programação Paralela e por que você deveria se preocupar com isso (Parte 3)

Nas publicações anteriores (veja as partes 1 e 2 desta série) foram discutidas diversas questões sobre o paradigma de Programação Paralela, tais como a importância de entender o paralelismo na construção de sistemas, os conceitos básicos, incluindo a taxonomia de Flynn, além de a iminência de sistemas cada vez mais concorrentes e paralelos.

Nesta parte, irei apresentar mais alguns conceitos de programação paralela, focando naqueles que definem o potencial de paralelismo de um sistema. Além disso, irei apresentar a lei de Amdahl, a qual é utilizada para calcular o ganho real na velocidade de processamento ao utilizar técnicas de paralelismo em um sistema.

Programação Paralela e por que você deveria se preocupar com isso (Parte 2)

Como defini na parte 1 desta série de publicações, irei descrever, resumidamente, alguns tipos de conceitos e terminologias associados à Programação Paralela e a organização dos computadores que suportam este paradigma. Pra começar, é conhecido que existem diferentes caminhos para se classificar computadores paralelos. Exemplos podem ser encontrados aqui. (Fonte: http://vedyadhara.ignou.ac.in/wiki/images/8/8e/B1U2mcse-011.pdf)
Nesta publicação iremos conhecer a classificação de computadores paralelos de acordo com a famosa Taxonomia de Flynn.

Programação Paralela e por que você deveria se preocupar com isso (Parte 1)

Creio que a maioria dos desenvolvedores já deve ter ouvido falar de threads, aprendeu um pouco sobre semáforos, monitores e travas. Partindo desse meu pensamento, imagino que essa mesma maioria não utiliza nenhuma forma de programação paralela em suas aplicações. A pergunta que fica é: utilizar paralelismo e lidar com concorrência tem baixa popularidade entre os desenvolvedores porque não tem utilidade ou porque os cursos de graduação em computação estão carentes de uma disciplina que ensine aos graduandos os reais benefícios em ter uma base sólida nesta área?

Esta série de publicações irá trazer uma visão básica sobre Parallel Programming, os exemplos serão baseados em Java e muito do que mostro aqui pode ser encontrado de maneira mais aprofundada no livro "The Art of Multiprocessor Programming", dos autores Maurice Herlihy e Nir Shavit.

A Ascensão do Desenvolvedor e suas Implicações

Mais do que nunca, esta é a era do desenvolvedor (em um passado não muito distante, chamado programador). Considerando que até pouco tempo atrás, os programadores estavam trancados em salas cheias de máquinas, hoje vemos desenvolvedores que são fundadores, executivos, e muitos estão entre os mais valiosos colaboradores das empresas. Hoje somos um número significante. Em um estudo publicado em julho de 2013, o Evans Data estimou que existem 18,2 milhões de desenvolvedores de software em todo o mundo, um número que irá crescer para 26,4 milhões até 2019, um crescimento de 45%.