Pular para o conteúdo principal

Redes Definidas por Software

Como uma das minhas linhas de pesquisa, quero trazer nesta publicação uma base do que são as Redes Definidas por Software (Software-Defined Networks, ou SDN).

SDN é uma abordagem de redes em que o controle tradicional é removido do hardware e dado a um software de aplicação, chamado controller.
Numa rede tradicional, quando os pacotes chegam a um switch, regras determinadas e implantadas no firmware do switch proprietário dizem ao switch para onde encaminhar os pacotes. O switch envia cada pacote que vai para o mesmo destino através do mesmo caminho, e trata os pacotes exatamente da mesma maneira. No mundo enterprise, switches inteligentes desenhados com Circuitos Integrados de Aplicações Específicas (ASIC) são sofisticados o suficiente para reconhecer diferentes tipos de pacotes e tratá-los de forma distinta, mas estes switches possuem um custo elevado para aquisição.

Em Redes Definidas por Software, o administrador pode moldar o tráfego a partir de um console central de controle sem a necessidade de ter que configurar switches individuais. O administrador pode modificar qualquer regra do switch quando considerar necessário - priorizando, ou não, pacotes, caminhos, e ainda bloquear tipos específicos de pacotes com um nível considerável de controle. Esta questão é especialmente útil em uma arquitetura multi-tenant de Computação em Nuvem porque permite ao adminsitrador gerenciar cargas de tráfego de uma maneira mais flexível e eficiente. Essencialmente, isto permite ao administrador gastar menos com switches e obter mais controle sobre o fluxo de tráfego na rede que antes.

SDN é, algumas vezes, referenciada como "CISCO killer" porque permite aos engenheiros de rede suportarem "switching fabric" através do hardware de múltiplos fornecedores e ASIC.

Atualmente, a especificação mais popular para a criação de uma SDN é o padrão aberto chamado OpenFlow. O OpenFlow permite aos administradores da rede o controle remoto das tabelas de roteamento.

Muito se discute sobre os impactos que as SDN teriam em redes e sistemas legados, outro tópico levantado é se o grande hype criado em torno do padrão OpenFlow realmente difere daquilo que já foi feito pela Ipsilon Networks nos anos 90.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Utilizando o padrão de referências da ABNT no Word

Uma importante funcionalidade do Microsoft Word é o seu Gerenciador de Fontes Bibliográficas. Para aqueles que estão escrevendo algum trabalho acadêmico ou científico, é possível cadastrar todas as referências do trabalho e no final gerar a listagem já enumerada dos documentos que foram consultados na pesquisa. Essa postagem traz os arquivos necessários e as instruções para facilitar essa etapa da elaboração.

Programação Paralela e por que você deveria se preocupar com isso (Parte 1)

Creio que a maioria dos desenvolvedores já deve ter ouvido falar de threads, aprendeu um pouco sobre semáforos, monitores e travas. Partindo desse meu pensamento, imagino que essa mesma maioria não utiliza nenhuma forma de programação paralela em suas aplicações. A pergunta que fica é: utilizar paralelismo e lidar com concorrência tem baixa popularidade entre os desenvolvedores porque não tem utilidade ou porque os cursos de graduação em computação estão carentes de uma disciplina que ensine aos graduandos os reais benefícios em ter uma base sólida nesta área?

Esta série de publicações irá trazer uma visão básica sobre Parallel Programming, os exemplos serão baseados em Java e muito do que mostro aqui pode ser encontrado de maneira mais aprofundada no livro "The Art of Multiprocessor Programming", dos autores Maurice Herlihy e Nir Shavit.

Mininet: Uma Rede Virtual Instantânea no Seu PC

Baseado no texto de introdução presente no site oficial do Mininet (www.mininet.org) apresento esta ferramenta que possibilita a desenvolvedores e pesquisadores a criação de uma rede virtual realista, executando um kernel real, switch e código de aplicação, em uma única máquina (VM, cloud ou nativa), em segundos, com comandos simples.

A rede virtual criada pelo Mininet é escalável, uma rede definida por software em um único PC utilizando processos do Linux. Isso possibilita um meio inteligente de realizar testes e simulações de uma rede antes de implementá-la em meio físico, caso esse seja o objetivo.