Pular para o conteúdo principal

Photoshop online? Passo.

Ultimamente tenho recebido dicas e notícias das mais variadas possíveis sobre o novo modo de se utilizar software: rodando o dito cujo online. Mas nenhuma destas tinha me convencido de que essa novidade veio pra ficar [pelo menos não enquanto tivermos conexões com preços absurdos e com velocidades absurdas (de baixas claro)], até que descubro o Pixlr, editor de imagens online. Diferentemente do Photoshop online onde se faz necessário todo um processo para utilização (sem falar em alguns bugs bizarros), o Pixlr parte do princípio que eu considero fundamental na web 2.0 (e assim por diante) que é dar praticidade ao usuário.

Dentre outras características, o Pixlr conta com uma interface muito agradável e leve, sem falar que já tem versão em português, é só clicar aqui.

É claro que ele não vai substituir seu editor principal, mas é uma salvação para aquelas situações mais TENSAS.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Utilizando o padrão de referências da ABNT no Word

Uma importante funcionalidade do Microsoft Word é o seu Gerenciador de Fontes Bibliográficas. Para aqueles que estão escrevendo algum trabalho acadêmico ou científico, é possível cadastrar todas as referências do trabalho e no final gerar a listagem já enumerada dos documentos que foram consultados na pesquisa. Essa postagem traz os arquivos necessários e as instruções para facilitar essa etapa da elaboração.

Como interpretar e utilizar gráficos

A quantidade de uma única postagem nos últimos 5 anos de blog mostra o quanto estive focado em outras coisas e sem tempo para escrever aqui. Porém, no meio de uma pandemia e com a finalização do meu doutorado, acabei ficando com mais tempo e colocando como meta a volta das publicações aqui no blog.
Nunca antes na história desse país a população, de uma maneira geral, se preocupou tanto com gráficos, curvas, média e outras questões básicas da estatística. Assim, em tempos de coronavírus, essa postagem tem o objetivo de auxiliar que mais e mais pessoas consigam interpretar gráficos, fazer comparações e, inclusive, saber o melhor tipo de gráfico para usar em determinados casos.

Programação Paralela e por que você deveria se preocupar com isso (Parte 1)

Creio que a maioria dos desenvolvedores já deve ter ouvido falar de threads, aprendeu um pouco sobre semáforos, monitores e travas. Partindo desse meu pensamento, imagino que essa mesma maioria não utiliza nenhuma forma de programação paralela em suas aplicações. A pergunta que fica é: utilizar paralelismo e lidar com concorrência tem baixa popularidade entre os desenvolvedores porque não tem utilidade ou porque os cursos de graduação em computação estão carentes de uma disciplina que ensine aos graduandos os reais benefícios em ter uma base sólida nesta área?

Esta série de publicações irá trazer uma visão básica sobre Parallel Programming, os exemplos serão baseados em Java e muito do que mostro aqui pode ser encontrado de maneira mais aprofundada no livro "The Art of Multiprocessor Programming", dos autores Maurice Herlihy e Nir Shavit.